Produção recorde provoca queda dos preços da soja em janeiro


Assessoria de Comunicação CNA

CNA também aponta leve reação do milho e valorização expressiva do algodão





A produção recorde de soja pressionou para baixo os preços da oleaginosa no mercado interno neste início de ano. Em janeiro, este cenário se refletiu nas principais regiões produtoras do grão, segundo o boletim Custos e Preços, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). 

Em Sorriso (MT), a saca foi cotada a R$ 59,17 no mês passado, o que representa desvalorização de 19,1% em relação a dezembro. Em Londrina (PR), no mesmo período, o grão foi vendido, em média, a R$ 63,50 a saca, registrando queda de 14,1% ante o mês anterior. Na comparação com janeiro de 2013, os preços pagos ao produtor ainda são melhores. 

De acordo com o estudo, a estimativa para a safra 2013/2014 é de um novo volume recorde de produção. Segundo a consultoria Safras & Mercado, a colheita deve ser de 81,81 milhões de toneladas, aumento de 12% em relação aos 82,13 bilhões de toneladas da safra anterior. Novas estimativas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) elevaram para 89,5 milhões de toneladas a produção brasileira da oleaginosa, quantia igual à produzida pelos Estados Unidos na safra passada. 

Milho - Os preços do milho no mercado interno ensaiam uma reação neste início de ano, diante da acomodação no ambiente doméstico, e com os agricultores vendendo apenas quantidades pontuais do grão para tentar manter as cotações em escala ascendente. Entretanto, os valores pagos ao produtor ainda estão bem menores do que os registrados no começo de 2013. 

Em Sorriso (MT), por exemplo, a saca de 60 quilos do cereal, teve valorização de 8,4% em janeiro, na comparação com o mês anterior, mas foi 12,6% menor do que a registrada em janeiro do ano passado. Em Londrina (PR), a cotação média subiu 3% no mês passado, em relação a dezembro de 2013, mas não foi suficiente para cobrir a desvalorização de 19,9%, na comparação com o mesmo mês do ano passado. 

Algodão - As cotações do algodão em pluma no mercado interno subiram, em média, 8% em janeiro, maior aumento mensal acumulado desde fevereiro de 2011, devido ao baixo estoque do produto e maior paridade de exportação. Em Luís Eduardo Magalhães (BA), o preço médio da arroba no mês passado aumentou 7,2% em relação a dezembro, sendo cotado a R$ 72,61. Na comparação com janeiro de 2013, a valorização da cotação da arroba de algodão chegou a 33,2%. 

No cenário internacional, aponta o estudo, houve redução de 20% nas exportações americanas da fibra, de 4% no consumo e de 23% nos estoques daquele país, além de ume redução das importações por parte da China. O país asiático pode adotar cotas menores de importação para estimular o consumo dos seus estoques domésticos, que representam 60% dos estoques mundiais. 

Clique aqui para ver a íntegra do boletim 
Compartilhar

About Sistema Blogger Brasília de Comunicação

0 comentários:

Postar um comentário