Mais carne de frango para a China


Assis Moreira

A China deverá habilitar cinco novos frigoríficos brasileiros a exportar carne de frango para o mercado chinês em um futuro próximo, o que deverá gerar embarques adicionais de US$ 100 milhões no ano que vem, conforme cálculos do segmento


A China deverá habilitar cinco novos frigoríficos brasileiros a exportar carne de frango para o mercado chinês em um futuro próximo, o que deverá gerar embarques adicionais de US$ 100 milhões no ano que vem, conforme cálculos do segmento. 

O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, e a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Kátia Abreu, receberam a promessa chinesa na sexta-feira, em encontro com o ministro da Agência Sanitária chinesa. 

Após dois anos de espera, ficou acertado que enfim será publicada a habilitação de cinco frigoríficos já aprovados pelos chineses. São três plantas da Seara, controlada pela JBS (Amparo/SP, Forquilhinha/SC e Seara/SC), uma da BRF (Videira/SC) e uma da frango Bello (Itaquaraí/MS). 

Cada um dos cinco frigoríficos tem potencial para exportar, em média, 10 mil toneladas por ano ao mercado chinês, conforme Adriano Zerbini, gerente de relações com o mercado da União Brasileira de Avicultura (Ubabef). Isso resultaria em faturamento adicional de US$ 100 milhões, a preços de 2012. 

Quando uma missão chinesa esteve no Brasil e decidiu pela habilitação das cinco plantas, também exigiu ressalvas para outras oito. Desde então, esses oito frigoríficos fizeram os ajustes demandados pelo chineses, mas ainda não deverão receber agora o aval para seus embarques. 

A habilitação desse segundo grupo dependerá de uma nova missão de inspeção, que chegará ao Brasil antes de 15 de dezembro. São duas plantas da BRF (Lajeado/RS e Capinzal/SC; uma da Alliz (Boituva /SP), uma da Pif Paf (Visconde do Rio Grande/MG), duas da Seara (Caxias do Sul/RS e Passos/MG), uma da Tyson (Itainópolis/SC) e uma da Frangos Canção (Maringá/PR). 

A questão é quando, precisamente, as cinco plantas do primeiro grupo vão ser realmente habilitadas. Há duas semanas, surgiu um rumor no mercado de que Pequim habilitaria cinco frigoríficos de carne de frango. Algumas fontes dizem ter visto inclusive a portaria no site da agência chinesa, que teria sido tirada do ar duas horas depois. 

Seja como for, os chineses também conseguiram barganhar. A promessa para a carne de frango teve a contrapartida do Brasil: logo será liberada a entrada de peras chinesas no mercado brasileiro. Uma missão de inspeção desembarcará na China para inspecionar pescado e fabricante de lácteos, outros produtos que Pequim também deseja exportar para o Brasil.
Compartilhar

About Sistema Blogger Brasília de Comunicação

0 comentários:

Postar um comentário