SC prepara aumento de armazenagem


Renê Gardim

As cooperativas contratarão crédito junto aos agentes financeiros, com 15 anos de prazo, incluindo três anos de carência e juro de 3,5% ao ano


Para diminuir o déficit de armazenagem de grãos em Santa Catarina, cooperativas agrícolas e o governo do estado firmaram parceria para revitalizar o Programa Armazenar da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, que em sua nova fase terá orçamento para subvencionar 50% dos juros, em um limite de 3,5%, referentes a financiamentos para construção e ampliação de armazéns. 

As novas diretrizes do Programa foram apresentadas em encontro do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, com o presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Marcos Zordan; o presidente da Coopercentral Aurora, Mário Lanznaster; e o presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina (Fecoagro), Luiz Vicente Suzin. 

As cooperativas contratarão financiamento junto aos agentes financeiros, com 15 anos de prazo, incluindo três anos de carência e juro de 3,5% ao ano, sendo que o governo do estado responderá pela subvenção de 50% desta taxa, o que corresponderá a aproximadamente R$ 83 milhões em subvenção. 

A expectativa é de que cerca de 100 projetos sejam realizados com investimentos totais de R$ 500 milhões. 

Em um ano, o objetivo é diminuir pela metade o déficit de 2,3 milhões de toneladas na estocagem de grãos em Santa Catarina. Hoje, o estado produz 6,5 milhões de toneladas de grãos incluindo Milho, Soja, trigo e arroz, porém armazena 4,2 milhões de toneladas, restando 30% da produção sem local para estocagem. 

De acordo com Rodrigues, esse déficit de armazenagem traz uma série de prejuízos para os agricultores catarinenses que sofrem com a falta de grãos. "Com o Programa Armazenar queremos não só ampliar a capacidade de armazenagem, mas também estaremos evitando desperdícios através da construção de unidades de armazenagem tecnicamente corretas", destaca. 

Programa nacional 

A presidente Dilma Rousseff reafirmou, no início deste mês, no Paraná, um eixo pouco falado do programa federal de Logística: a armazenagem. Dilma anunciou a contratação de 16 novas unidades de armazenagem pela Coama, maior cooperativa agroindustrial da América Latina, com capacidade para guardar 270 mil toneladas de grãos no Paraná, em Santa Catarina e no Mato Grosso do Sul. "Precisamos de silos para guardar a produção em locais estratégicos. E é isso que estamos fazendo com essa linha de investimento do BNDES", disse. 

Com juros de 3,5% ao ano, 15 anos de prazo de amortização e três de carência, o governo aposta na construção de silos em larga escala nas principais regiões produtoras do País. 

A previsão do governo é alcançar R$ 25 bilhões de investimentos em armazenagem nos próximos cinco anos. "Já temos demanda para mais de R$ 5 bilhões em crédito na nossa carteira", informou o vice-presidente de Agronegócios do BB, Osmar Dias.
Compartilhar

About Sistema Blogger Brasília de Comunicação

0 comentários:

Postar um comentário