Mutirão leva cidadania a trabalhadoras rurais

Da redação

Cerca de cem trabalhadoras rurais do acampamento 1º de Julho, em São Sebastião, poderão fazer até hoje Cadastro de Pessoa Física (CPF), carteira de trabalho, registro no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico) e ter acesso a serviços do poder público.


"É importante que o Estado conheça seus cidadãos, assim as políticas públicas podem ser mais bem planejadas, de acordo com cada segmento", explicou Tiago Flores, gerente de Educação do Campo e Cidadania, da Secretaria de Agricultura. A ação prioriza as mulheres, mas crianças e trabalhadores rurais também poderão ter acesso a serviços como aferição de pressão arterial e de nível de glicose, assistência técnica rural, expedição de carteira de trabalho e orientações sobre o direito da mulher e serviços prestados pelo INSS. "Historicamente, a população rural sofreu omissão do poder público e o atual governo está corrigindo isso", ressaltou Flores. 

A iniciativa conjunta envolve, além da Secretaria de Agricultura, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, da Mulher, de Saúde, Emater-DF, Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), do Trabalho (MTE) e o INSS. "A ação é importante até para identificar quem realmente são trabalhadoras e trabalhadores rurais que querem tirar o sustento da terra. 

Muitos também têm dificuldades para ir à cidade tirar documentos. Nos sentimos valorizados com o que acontece aqui, hoje", disse Eliana dos Santos, coordenadora do acampamento 1º de Julho. A medida faz parte do Programa Nacional de Documentação das Trabalhadoras Rurais (PNDTR), do MDA, que tem como objetivo promover a inclusão social das trabalhadoras.
Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário