Hidrovia Tietê-Paraná liga cinco dos maiores estados produtores de soja


Da Redação

Com 2.400 quilômetros de vias navegáveis, o sistema hidroviário Tietê-Paraná liga cinco dos maiores estados produtores de soja do país e é considerada a Hidrovia do Mercosul




Com 2.400 quilômetros de vias navegáveis de Piracicaba e Conchas (ambos em São Paulo) até Goiás e Minas Gerais (ao norte) e Mato Grosso do Sul, Paraná e Paraguai (ao sul), o sistema hidroviário Tietê-Paraná liga cinco dos maiores estados produtores de soja do país e é considerada a Hidrovia do Mercosul.

No trecho paulista são 800 quilômetros de vias navegáveis, dez eclusas, dez barragens, 23 pontes, 19 estaleiros e 30 terminais intermodais de cargas. A hidrovia é administrada pelo Departamento Hidroviário - DH, órgão ligado a Secretaria de Logística e Transportes de São Paulo, e se transformou em uma alternativa econômica para o transporte de cargas, além de impulsionar o desenvolvimento regional de cidades como Barra Bonita e Pederneiras.

Em setembro de 2011, um Protocolo de Intenções para investimentos em obras na Hidrovia Tietê-Paraná foi assinado pelo Governo do Estado e a União. Os investimentos beneficiarão a economia brasileira e a agroindústria. Serão liberados mais de R$ 1,5 bilhão para melhorias. Deste total, R$ 600 milhões são advindos do governo estadual.

Serão realizadas obras de eliminação de gargalos, como ampliação e proteção de vãos de pontes, que permitirão a passagem de comboios com quatro chatas sem a necessidade de desmembramento, extensão da navegação nos rios Tietê e Piracicaba e desassoreamento e ampliação de canais de navegação.

Estão previstas ainda a construção da barragem Santa Maria da Serra, que ampliará a navegação em 55 km até o distrito de Ártemis, em Piracicaba, além da extensão de 200 km entre Anhembi até Salto. Neste trecho está prevista ainda a construção de barragem no município de Anhembi, que possibilitará a passagem das embarcações, principalmente no período de estiagem, até Conchas.

Com a conclusão das obras será possível atrair cerca de 11,5 milhões de toneladas de cargas para a hidrovia, o que representa mais do que o dobro da movimentação atual - em 2012, a Hidrovia movimentou 6,181 milhões de toneladas. Entre as obras concluídas estão a implantação da proteção dos pilares da ponte da rodovia SP-255 em Barra Bonita e a implosão dos vãos da ponte da SP-333.  
Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário