De grão em grão para encher o papo


Da Redação

Para que o cenário vivido no segundo semestre de 2012 não se repita neste ano, a indústria de aves e de suínos resolveu se antecipar a fim de garantir o milho necessário à produção



Para que o cenário vivido no segundo semestre de 2012 não se repita neste ano, a indústria de aves e de suínos resolveu se antecipar a fim de garantir o milho necessário à produção. O resultado da mobilização deve aparecer com a publicação de uma portaria do governo. No documento, se define a utilização de R$ 700 milhões para a realização de leilões de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) e Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro) que ajudariam a garantir o abastecimento, em caso de necessidade.

A medida beneficiaria sobretudo Estados como o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, onde a conta não fecha. Ou seja, onde as lavouras locais não conseguem suprir a demanda desses setores. Por outro lado, também ajudaria Estados como Mato Grosso a escoar a produção excedente -  só na chamada safrinha, foram produzidas 17,88 milhões de toneladas.

O assunto foi tema de reunião, ontem, com o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, e o secretário de Política Agrícola, o gaúcho Neri Geller, da qual participaram representantes do Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do Estado do Rio Grande do Sul (Sips) e da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav).

No mês passado, Geller já havia sinalizado positivamente para uma possível intervenção. Os estoques públicos de milho também já vinham sendo reforçados e devem chegar a 4 milhões de toneladas até o próximo mês.

Conforme levantamento feito pelas entidades, o déficit do grão no Estado, neste ano, será de 1,5 milhão de toneladas e, em Santa Catarina, de 2,2 milhões de toneladas. A busca por uma solução de forma preventiva já vem sendo feita desde abril, como relata o diretor-executivo do Sips, Rogério Kerber.

A iniciativa é motivada pelos efeitos ainda sentidos do ano passado, quando a escassez do milho, decorrente da quebra da safra local e americana, provocou alta no custo de produção. O resultado foi uma crise com impacto também no bolso do consumidor.


Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário