Movimentação histórica


Mato Grosso, detentor do maior rebanho de bovinos do país e maior abatedor nacional, atingiu no primeiro trimestre deste ano recorde no envio de animais para os frigoríficos



Mato Grosso, detentor do maior rebanho de bovinos do país e maior abatedor nacional, atingiu no primeiro trimestre deste ano recorde no envio de animais para os frigoríficos, ao somar entre janeiro e março mais de 1,38 milhão de cabeças, volume jamais contabilizado na série histórica do IBGE, no Estado, para este período.

No primeiro trimestre de 2012, foram abatidos 1,15 milhão de animais, o que gera na comparação anual um incremento de 20,5% - o segundo maior entre os grandes rebanhos nacionais, atrás apenas de Minas Gerais, cuja elevação foi de 32% - no número de abates e ganho de 23,7% sobre o rendimento das carcaças. Ou seja, se abateu mais em volume absoluto como também animais melhor terminados, mais pesados. Os números referentes ao acumulado dos três primeiros meses deste ano foram divulgados ontem, por meio da Estatística da Produção Pecuária, do IBGE. Mato Grosso possuiu um rebanho de cerca de 29 milhões de cabeças.

A expansão mato-grossense em 20,5% no período supera a média nacional de 12,7% no volume de cabeças e de 13,2% no incremento no peso das carcaças. Conforme o levantamento, o Brasil também contabilizou o melhor primeiro trimestre da história.

Antes dos números de 2013, o melhor primeiro trimestre em abates bovinos do Estado havia sido registrado em 2007, quando foram movimentadas 1,21 milhão de cabeças. Nos últimos 14 anos, o menor volume de abates foi registrado no primeiro trimestre de 2000, quando pouco mais de 494,53 mil animais foram enviados aos frigoríficos no acumulado de janeiro a março.

REFLEXO MT – Num período de tempo maior, até como efeito dos resultados mostrados ontem pelo IBGE, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), revela que pelo menos até maio, o aquecimento do segmento pecuário teve sequencia. Em cinco meses de abate no ano de 2013, Mato Grosso já acumula mais um recorde e dessa vez refere-se à utilização da capacidade frigorífica instalada do Estado, a maior já registrada em toda história.

Levando em consideração todo o parque industrial frigorífico instalado em Mato Grosso, o Imea calculou com os dados disponibilizados pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea/MT) uma utilização da capacidade frigorífica instalada de 45,83% no ano de 2013. O resultado obtido este ano está 3,13 pontos percentuais acima do que foi registrado em todo o ano de 2012 (42,70%).

“Um dos principais motivos para o resultado e que explica em grande parte o aumento da utilização é o atual nível dos abates de bovinos em 2013. Para se ter uma ideia de como estão sendo mandados mais animais para abate, foi considerado que os abates, na maiorias das plantas, vão de segunda a sexta-feira, resultando em uma média diária nos cinco primeiros meses do ano de 2013 de 22.442 cabeças, acima da média registrada em 2012 (20.862 cabeças/dia)”, explicam os analistas. Como completam, além disso, a reabertura de duas plantas no Estado, nas regiões nordeste e oeste, puxaram a utilização nas macrorregiões e também no Estado de Mato Grosso.

“Em uma análise mais regionalista do Estado, notam-se os maiores aumentos nas regiões onde as plantas antes desativadas foram reabertas. São os casos das macrorregiões oeste e nordeste, que aumentaram em 6,95 pontos percentuais e 11,32 pontos percentuais, respectivamente. De qualquer maneira, vale ressaltar que ainda há muitas plantas frigoríficas instaladas que estão desativas no Estado, fazendo com que a utilização média esteja abaixo dos 50%”.

BRASIL – Neste primeiro trimestre de 2013 foram abatidos no país 8,1 milhões de cabeças. Entre as regiões houve incremento em todas elas: 17,5% no Centro-Oeste, 18,1% no Sudeste, 6,2% no Norte, 8% no Sul e 2,3% no Nordeste. 
Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário