Conab anuncia R$ 19,5 mi


A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai investir R$ 19,5 milhões na reforma das cinco Unidades Armazenadoras (UA) em Mato Grosso




A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai investir R$ 19,5 milhões na reforma das cinco Unidades Armazenadoras (UA) em Mato Grosso. Os armazéns estão situados nas cidades de Alta Floresta, Diamantino, Rondonópolis, Sinop e Sorriso e se destinam, principalmente, para o estoque regulador de milho e arroz. Atualmente, a capacidade estática do Estado é de 200 mil toneladas.

Conforme a Conab, os recursos a serem aplicados fazem parte do Plano Agrícola e Pecuário 2013/2014 (PAP), que trouxe como novidade o Plano Nacional de Armazenagem que prevê investimentos de R$ 500 milhões na rede pública de armazenagem em todo o país, sendo R$ 350 milhões para a construção de 10 novas UAs e R$ 150 milhões para a reforma de 84 unidades existentes. O novo PAP foi anunciado no último dia 4 pela presidenta Dilma Rousseff.

Entre as melhorias previstas estão a reforma das instalações internas e externas e a ampliação das capacidades, com a substituição de equipamentos por outros mais modernos. Com as medidas, a capacidade estática de armazenagem pública do Brasil passará de 1,96 milhão para 2,81 milhões de toneladas. No Nordeste, o investimento chegará a R$ 260 milhões, o equivalente a 52% do total dos recursos, com a reforma de 33 unidades e a construção de outras seis.

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famato) os recursos específicos para armazenagem são muito bem-vindos e chegam em um momento em que não é mais possível protelar investimentos neste braço da logística de infraestrutura. Conforme o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), órgão vinculado à Famato, a capacidade instalada dos armazéns de Mato Grosso é de 28 milhões de toneladas para uma safra de 41 milhões de toneladas de grãos, sendo que 67,5% dessa capacidade estão em armazéns comerciais, 29% particulares (produtores) e 3,5% cooperativas. Para comportar todo o déficit de armazenagem que o Estado possui atualmente seriam necessários mais 3.737 silos, ou investimento de R$ 9,15 bilhões.

Mato Grosso é, pelo segundo ano consecutivo, o maior produtor de grãos e fibras do Brasil e nesta safra, a 2011/13, somente em soja e milho o Estado deverá somar mais de 40,1 milhões de toneladas (t), volume que ultrapassa em 28,4% a capacidade estática total de armazenamento.

A sobreoferta ficará evidente a partir 30 de julho, quando o encontro dos estoques dos grãos, com a chegada da nova supersafra de milho será inevitável pelos silos Estado afora. Em momentos como esses, como destacam os produtos as perdas na qualidade do grão e financeira são certas. Primeiro porque ou se paga para armazenagem privada, ou vende a produto a qualquer preço ou deixa a céu aberto. 
Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário