Da soja nasce a riqueza do Rio Grande e do Brasil


Em nível nacional, a abertura dos portos durante as 24 horas do dia, que encontrou resistência quando do lançamento da iniciativa, vai funcionar

Em nível nacional, a abertura dos portos durante as 24 horas do dia, que encontrou resistência quando do lançamento da iniciativa, vai funcionar. Nesta segunda-feira, os navios, dia e noite, carregarão os grãos que tantas riquezas trazem para o País, mesmo que sendo vendidos ainda apenas como commodities. Os serviços federais anuentes do porto de Paranaguá passarão a funcionar 24 horas por dia a partir de hoje. 

A medida já foi aplicada nos portos de Santos, Rio de Janeiro e Vitória, dentro do programa Porto 24 horas, da Secretaria Especial de Portos (SEC). O programa coloca órgãos, como Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Receita Federal e Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro), em trabalho ininterrupto para acelerar a entrada e a saída de carga de Paranaguá.

A Marinha trabalha 24 horas por dia no despacho para entrada e saída de navios em Paranaguá. Aqui no Rio Grande do Sul, os produtores estão entusiasmados com a safra de soja deste ano. Com 90% do grão colhido e estocado, a produção atingiu 4,3 milhões de toneladas, 2,5 milhões de toneladas a mais do que a safra passada, quando a lavoura foi castigada pela estiagem. Neste ano, os preços estão elevados e aumentando ainda mais o entusiasmo dos agricultores gaúchos, que poderão se capitalizar. A saca de soja estava cotada em torno de R$ 57,00, no final da semana passada.

A soja está com a colheita praticamente encerrada, com os produtores avançando sobre 90% da área estimada para 2013. As quantidades retiradas ultimamente têm surpreendido. Em situações não raras, ultrapassam os 3 mil kg/ha. Metade da produção gaúcha deverá ser exportada nos próximos meses pelo porto do Rio Grande.

O restante será esmagado para ser transformado em óleo comestível e biodiesel, e o farelo será destinado à ração animal. As exportações do complexo soja em abril atingiram 8,521 milhões de toneladas, ou 99,3% a mais do que as 4,276 milhões de toneladas exportadas em março e 49,3% acima das 5,706 milhões embarcadas em abril do ano passado. A receita em abril cresceu 91,6% ante o mês de março, para US$ 4,517 bilhões. Houve um crescimento de 102,3% nos embarques de soja em grão em abril em relação a março, para 7,154 milhões de toneladas. A receita das exportações de soja em grão atingiu US$ 3,797 bilhões, valor 98,8% superior ao mês anterior e 67,9% ante o mesmo mês do ano passado.

O problema é que, após registrar o primeiro resultado positivo de 2013 em março deste ano, a balança comercial brasileira voltou a apresentar déficit em maio. Em abril, o saldo ficou negativo em US$ 994 milhões, pois houve mais importações de bens e serviços do que exportação, contra um superávit de US$ 879 milhões em abril do ano passado. O resultado é o pior para o mês desde o início da série histórica, em 1959. No mês passado, o País exportou o valor recorde de US$ 20,6 bilhões. Mas o resultado não foi suficiente para compensar o também recorde de importações para o período, que foi de US$ 21,6 bilhões. Com o resultado de abril, a balança comercial brasileira acumula déficit de US$ 6,1 bilhões em 2013. Nada bom.
Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário