Brasil e Cuba avançam na cooperação técnica em agropecuária

AEmbrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, uma das 47 unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, recebeu hoje (10/04) pela manhã a visita do Vice-Presidente do Conselho de Ministros da República de Cuba, Marino Murillo Jorge (FOTO), acompanhado do Embaixador do Brasil em Cuba, José Felício, e de uma comitiva de 12 pessoas composta por representantes da alta direção do Partido Comunista Cubano. O Conselho de Ministros é o mais importante órgão executivo e administrativo daquele país, presidido por Raul Castro, e Jorge é um dos cinco Vice-Presidentes responsáveis pela implementação de reformas econômicas em Cuba.

A visita é resultado de um acordo entre os governos brasileiro e cubano para aprimorar a cooperação entre os dois países na área de pesquisa agropecuária e capacitação, envolvendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Embrapa e a Embaixada de Cuba.

A cooperação governamental entre Brasil e Cuba foi iniciada em 1987, com a assinatura do Acordo de Cooperação Científica, Técnica e Tecnológica. O estreitamento dessa parceria para a área agrícola veio em 2000, quando foi assinada uma carta de intenção com a Embrapa para pesquisas envolvendo gado de leite, pastagens e espécies forrageiras.

De lá pra cá, a interação técnico-científica entre os dois países vem crescendo significativamente em prol da agropecuária e hoje já envolve pesquisas para o melhoramento de cana-de-açúcar, tabaco, citros, café, arroz, batata, feijão e gado, que são os principais produtos da economia cubana, além de tecnologias voltadas à sanidade animal e vegetal, biotecnologia, biossegurança e propriedade intelectual.

“O objetivo agora é fortalecer a capacitação técnico-científica de pesquisadores cubanos, a partir de visitas técnicas às várias unidades de pesquisa da Embrapa distribuídas por todo o Brasil e apoiar ações de transferência de tecnologias entre os dois países”, afirma o Chefe da Secretaria de Relações Internacionais (SRI) da Embrapa, Márcio Porto.

Comitiva conhece pesquisas de recursos genéticos, biotecnologia e controle biológico de pragas

Na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, a delegação cubana foi recebida pela Chefe-Geral em exercício, Taciana Cavalcanti, e assistiu a palestras sobre a Plataforma Brasileira de Recursos Genéticos, apresentada pelo pesquisador Arthur Mariante, e controle biológico de pragas agrícolas, pelo pesquisador Raul Laumann. Depois, visitou um laboratório de biotecnologia vegetal, acompanhada pelo pesquisador Julio Carlyle.

A Plataforma despertou o interesse da comitiva cubana, especialmente pelo caráter integrador, já que envolve 530 pesquisadores e 70 instituições de pesquisa brasileiras (incluindo a Embrapa) em prol da conservação e uso sustentável de recursos genéticos vegetais, animais e de micro-organismos.

O Vice-Presidente do Conselho de Ministros demonstrou especial atenção também pelo controle biológico de pragas, especialmente em relação à doença conhecida como greening dos citros. Essa doença é hoje uma das piores ameaças à citricultura mundial e é causada por bactérias transmitidas pelo inseto Diaphorina citri. Jorge quis saber como a Embrapa tem atuado no combate a essa doença.

A doença de greening é hoje o pior problema enfrentado pela citricultura brasileira, responsável por movimentar recursos da ordem de mais de R$ 9 bilhões por ano. “Por isso, a Embrapa desenvolve um pool de projetos de pesquisa para tentar solucioná-lo”, explicou a Chefe-Geral em exercício da Unidade. Essas ações envolvem várias de suas unidades de pesquisa e diferentes abordagens voltadas ao controle do inseto-vetor e das bactérias que infectam as frutas, a partir de técnicas de controle biológico e engenharia genética, entre outras.

A utilização de feromônios para controlar os percevejos-praga da soja, apresentada pelo pesquisador Raul Laumann, também interessou a comitiva, já que essa é uma das culturas agrícolas de maior importância para a economia de Cuba.

Os feromônios são os mais importantes elementos da comunicação entre os insetos.  São substâncias químicas de cheiro peculiar, presentes em cada espécie, que atuam como meios de comunicação.  Na natureza, são responsáveis pela atração de indivíduos da mesma espécie para acasalamento, demarcação de território e outros tipos de comportamento. Os cientistas reproduzem, em laboratório, as condições observadas na natureza para monitorar o comportamento dos insetos-praga e interromper a sua reprodução.     Jorge demonstrou interesse na transferência dessa tecnologia e na possível adaptação às condições de cultivo da soja no Caribe.

“Por enquanto, os representantes do alto escalão cubano estão na fase de prospecção de ações de pesquisa para intensificação da cooperação técnica com a Embrapa”, constatou o Chefe da SRI.  Em Brasília, eles conversaram com o Presidente da Instituição, Maurício Lopes, e visitaram duas unidades de pesquisa: Recursos Genéticos e Biotecnologia e Agroenergia. Futuramente, serão realizadas visitas a outras unidades de diferentes regiões brasileiras.
Compartilhar

About Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário